desenho e design

6.1 Modelação | Contorno

O recurso à constituição de camadas (Layers) é uma opção importante para controlar eficazmente a gestão da informação gráfica sobre o ambiente de trabalho. Se não distribuirmos em camadas os elementos que constituem a imagem a construir, ao fim de pouco tempo a dificuldade em seleccionar e alterar parcialmente a imagem será cada vez maior.

O princípio fundamental dessa divisão radica na taxonomia da imagem, segundo os propósitos de representação e interpretação pretendidos. No caso presente, foram definidos (taxonomizados) os níveis hierárquicos (importância e dependência) da estrutura a ilustrar.

Como esta ilustração inicia-se a partir de uma imagem, importou-se a respectiva fotografia sobre a folha de trabalho Place [File | Place].

A fotografia permanecerá na camada criada por defeito pelo próprio programa, aquando da abertura do Illustrator.

Pretendendo realizar diversas vistas, deve criar as respectivas camadas, como indicado – New Layers [Window | Layers > New Layer ]. Para iniciar o desenho sobre a camada pretendida, bastará seleccioná-la sobre a paleta Layers. Por outro lado, cada camada poderá conter sub-camadas (Sublayer) para estender mais um nível de dependência a divisão de propriedades – Visibilidade | Invisibilidade e Edição e Edição interdita (nas duas colunas à direita na paleta Layers.

O Illustrator atribui automaticamente uma cor diferente a cada camada criada. Não se trata de uma cor escolhida para os elementos gráficos, mas antes uma diferenciação dos elementos em função da camada a que pertencem – Quando seleccionados apresentam a cor indexada para a camada onde estão situados.

As camadas permitem a escolhas de diferentes propriedades de afectação como apresenta o quadro Layer Options. Esse quadro surge no écran se clicar repetidamente duas vezes sobre a designação da camada. Aí poderá alterar o nome da camada e demais propriedades.

A camada Layer1 foi bloqueada para evitar qualquer edição ou selecção e sobre a camada CIMA iniciámos o desenho a traço da vista de Cima.

Os instrumentos utilizados para o desenho e alteração de linhas são já conhecidos e com alguma facilidade concluí-se esta primeira fase.


Aplique o operador Pathfinder [ Window | Pahtfinder ] para obter um adequado acerto entre a base superior e a frente casual do objecto. Neste caso, para evidenciar o resultado, trabalhei com elementos duplicados que após o bom sucesso da operação posso apagar.

A partir de Stroke [ Window | Stroke ] alterar a transição entre pontos.

Desactivando a visibilidade da camada Layer1 observo apenas o resultado desenhado.

< >










Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: